Novo FIW 2022

fev 9, 2022 Informativos

Venho me dirigir a todos os clérigos da Igreja Metodista Wesleyana: bispos, ministros, pastores e missionárias. Este vídeo é feito pra você.

O Concílio Geral, de forma serena e responsável, promoveu mudanças profundas na administração da IMW, mais precisamente, naquele grupo que se torna o executivo das propostas e anseios de uma só igreja institucional.

Me refiro aos secretários gerais, dentre os quais, estou incluído, pela vontade do Senhor manifesta nos votos – de confiança – recebidos pelo plenário geral.

Cada voto recebido vinha com a palavra “mudança”. Pois, falando de forma simplista, pra continuar tudo como estava era só reconduzir os que – honrosa e dedicadamente – nos antecederam.

Junto com a palavra MUDANÇA também veio a palavra CONFIANÇA, ESPERANÇA E CAPACIDADE para exercer essas mudanças.

As Secretarias Gerais falam muito sobre GESTÃO. E, gestão de pessoas e estruturas tem um viés normativo, mas também é impactada profundamente pelos que estão à frente dessa gestão.

Isso traz para o momento que vivemos – enquanto novos secretários gerais – uma grande responsabilidade: ganhar não foi mérito nem presente, mas um sinal claro de confiança nas mudanças que virão.

“As Secretarias gerais são órgãos que executam os planos e os programas da Igreja, agindo cada uma em seu próprio setor de ação, visando em tudo à harmonia na obra e à glória do trino Deus”.

Estatuto e Regimento Interno da IMW, Art. 22º

“A Secretaria Geral de Administração é o órgão por meio do qual a Igreja cuida de seus interesses administrativos e dos bens móveis e imóveis.”

Estatuto e Regimento Interno da IMW, Art. 25º

Nosso Estatuto, aprovado pelo plenário do mais recente concilio geral, expressando a vontade do legislador, ainda determina que é competência da SGA:

XIV – Expedir resoluções normativas de procedimentos administrativos nos casos de omissão, nos limites do Estatuto e do Regimento Interno por meio de comunicação oficial.

XV – Elaborar a padronização de documentos e atos administrativos, ouvido o Conselho Geral.

Estatuto e Regimento Interno da IMW, Art. 27º

Diante disso, venho me dirigir a todos os clérigos a respeito do Novo Regimento do FIW para o ano 2022.

Todos bem sabemos que o FIW é o Fundo Imobiliário Wesleyano:

“A Igreja Metodista Wesleyana, visando alcançar meios para ajudar suas igrejas e instituições na aquisição ou na construção de casas pastorais, templos, salões de culto e edifícios próprios, resolve criar um fundo com essa finalidade.”

Regimento do FIW, Art 1º

Também sabemos que, até aqui, o FIW tem sido resultado de metade dos dízimos dos clérigos. Além desses 50%, outros 25% desses dízimos são enviados para a SGAS para suprir as necessidades dos nossos jubilados. Pois, apenas os 0,5% de todas as entradas das igrejas locais, não consegue suprir todas as necessidades dos jubilados.

Dessa forma, 75% do dízimo dos clérigos tem sido destinados para o FIW e para os Jubilados. Os demais 25% tem sido dado como cota distrital e outros fins. Um valor muito pequeno desses tem sido dado para as igrejas locais.

Dessa forma, percebemos que, ao longo dos anos, outras necessidades foram surgindo que envolveram o uso dos dízimos dos pastores.

Cabe aqui uma menção de honra dos nossos clérigos, que tem sido fiéis e gratos a Deus pelo sustento. Nossos pastores e missionárias formam uma equipe ministerial fantástica, de homens e mulheres a serviço de Cristo e Sua obra, no pastoreio de vidas: VIDAS SÃO O FOCO DO NOSSO MINISTÉRIO.

Precisamos entender – estatutariamente – que todos os clérigos da IMW são membros da igreja regional ou geral. Somos os ministros do evangelho a serviço das igrejas locais; servimos à comunidade dos santos e daqueles que herdarão a salvação.

Assim como os membros de uma igreja local – de forma bíblica e justa – dizimam e contribuem financeiramente com suas igrejas locais; de igual modo, os clérigos devem contribuir na igreja à qual fazem parte; ou seja, a igreja regional.

A Bíblia diz que digno é o trabalhador do seu salário. Nossas igrejas locais tem honrado de forma muito carinhosa – e com esforço em tempos difíceis – seus pastores e a família pastoral. Estou na IMW a 30 anos. Sou filho de um pastor wesleyano a cerca de 50 anos. Fui membro de família pastoral e hoje sou um pastor wesleyano: nunca fomos desamparados ou desassistidos durante todo esse tempo.

Deus é fiel. E sua fidelidade tem sido expressa por meio de um povo generoso e abençoador. Pois, bem sabemos que, mais bem aventurada coisa é dar do que receber.

Tendo em vista a visão de que o clérigo é membro daquilo que convencionamos chamar de igreja regional, nada mais justo do que ali dizimarmos com alegria, fidelidade e desprendimento. Entendemos muito bem as promessas de que as janelas dos céus se abrirão sobre nossas casas e ministérios, e seremos abastados e satisfeitos.

Diante disso, após um extenso estudo sobre os impactos, a viabilidade, a necessidade e a gestão de recursos, o Conselho Geral aprovou o envio de 100% dos nossos dízimos para aqueles a quem prestamos conta de nosso ministério: somos mordomos de um rebanho que o Senhor nos confiou, SIM, mas também somos mordomos de uma denominação que nos abraçou, acolheu, investiu e tem dado suporte ministerial a seus clérigos.

Muito há que realizar por meio de nossos dízimos. Todo clérigo wesleyano é zeloso e fiel na devolução de seu dízimo ao Senhor. Mas também é interessado em que essa colheita seja semeada em terra fértil; que ela gere vida e possa impulsionar os projetos de crescimento, evangelização e cuidado de vidas (que é o desejo de todos nós).

Àqueles que administram esse fundo, nunca devem esquecer que prestam contas ao Senhor da Obra, mas também àqueles que nela contribuem. Assim é na igreja local; assim deve ser na igreja regional.

Todos nós – interessados numa melhor gestão de recursos – estamos ansiosos por realizar muito mais do que temos feito, com os recursos que já possuímos. Durante o ano de 2022 será feito um estudo, por meio do fórum de secretários gerais e regionais de Adm e Finanças, para uma melhor gestão dos recursos advindos das igrejas locais.

Essas mudanças, propostas no último concilio geral, vão nos permitir ser mais produtivos e zelosos no trato dos recursos financeiros e na administração de resultados. Porém, essas mudanças serão gradativas. Não serão resultados de experimentos, mas de estudo apurado de receitas e da aplicação desses recursos aonde eles se fazem necessários.

Porém, essas mudanças não serão apenas nos recursos advindos da igreja local, mas também se farão implementar nos recursos advindos dos clérigos. Podemos fazer muito mais e melhor, com aquilo que de forma grata e espontânea tem saído das nossas despensas.

Sendo este ano de 2022 um ano de adequação para novos tempos, estamos reorganizando o recebimento e a destinação do FIW, conhecido até o momento – e de forma oficial – como um FUNDO IMOBILIÁRIO, passando a ser tratado de forma pedagógica e propositiva como FUNDO DE INVESTIMENTO.

Durante o ano de 2022, de 100% dos recursos dos nossos dízimos, 50% deles ficarão nas regiões, para cumprir o que tem sido proposto no regimento anterior, com algumas adequações ao presente momento e necessidades.

No atual regimento, será permitido o aluguel de propriedades, bem como a aquisição de imóveis que estão em situação irregular, locados em áreas de enorme carência social. Isto permitirá a compra de propriedades em comunidades aonde não se tem documentação de imóveis, bem como o aluguel de imóveis em locais onde os custos são elevados ou em lugares aonde a igreja estará sendo plantada e implantada de forma gradativa. Tudo isso com o resultado de 50% de nossos dízimos. Graças a Deus!

Os outros 50% serão enviados à SGA que estará investindo em projetos missionários e educacionais, bem como na manutenção de nossos obreiros jubilados. Um dia todos chegaremos lá (se o Senhor não nos chamar antes). Com esses recursos, cuidaremos daqueles que labutaram no passado e nos deixaram como herança ministerial e denominacional uma igreja forte, dinâmica e capaz. Creio ser o mínimo da nossa parte.

Claro que as igrejas já enviam 0,5% para esses clérigos. Mas, agora, de forma institucional e oficial, estaremos nós, os atuais clérigos, investindo na vida desses guerreiros e guerreiras. Que honra creio ser para todos nós.

Outra parte desses recursos enviados à SGA, estaremos investindo nos nossos futuros obreiros, aqueles que estarão sendo formados e forjados em nossos seminários e agencias missionárias. Somos a igreja sacerdotal do presente, que investe não apenas no passado, mas também no futuro.

E por fim, outra parte desses recursos serão – de igual forma – investidos também em nossos corajosos e dedicados missionários que estão no campo. Claro que as igrejas locais já contribuem com a obra missionaria. E isso é uma força enorme. Mas, torna-se uma honra e uma grande benção todos nós – os clérigos da imw – por meio dos nossos dízimos, contribuirmos com os valorosos obreiros e obreiras que estão no campo missionário.

De modo que, seja a igreja sacerdotal do passado, seja a igreja do presente ou a do futuro, estará sendo agraciada e abençoada com nossos dízimos. É uma enorme alegria que tenho em saber que o dízimo que eu devolvo ao Senhor, está sendo utilizado – não apenas em prédios – mas em pessoas. Investido aonde a vida está. A vida está nas pessoas, nos clérigos que tem labutado na Seara do Mestre. Aleluia.

Por isso o FIW, mais do que um fundo imobiliário, torna-se um fundo de investimento: não penas em pedra, tijolo ou areia, mas também em vidas (que é o que importa).

O novo regimento também permite de forma oficial e legal, o investimento dos nossos dízimos em equipamentos de som, climatização e mobiliário para nosso povo; um povo tão amoroso e aguerrido, que muitas vezes está desprovido de certos confortos proporcionados a grandes igrejas locais.

Com o novo regimento, vamos proporcionar isso; com a ajuda de Deus e a contribuição de todos nós.

Para terminar, informo que a partir do dia 1 de Março de 2022, 100% do seu dizimo seja enviado para o fiw da sua região. O impacto disso nas igrejas locais, como já mencionei, será ínfimo. Não será mais do que 120 reais (de média) naquelas onde, até aqui, ficavam com 25% do dizimo de seus pastores. Esse universo é muito pequeno (cerca de 20% das igrejas locais). Porém, ao unirmos nossas forças e a somatória desses recursos, conseguiremos alavancar os projetos sociais, educacionais e missionários de nossa igreja.

O novo FIW estará sendo preparado para um novo tempo. Grandes coisas estão por vir para nossas igrejas e seus clérigos. Para isso, contamos com suas orações, intercessões e torcida para que a obra seja realizada. A sua fidelidade o Senhor já tem; o resultado dessa fidelidade, a IMW já tem. Conto com seu apoio para que coisas extraordinárias sejam relizadas  por meio de todos nós.

A partir de março você poderá contar com o portal de informações cujo link é: fiw.wesleyana.com.br Lá você poderá acompanhar de perto, a aplicação dos recursos, e o quanto podemos alavancar nossas igrejas: desde as menores até as maiores. Toda ação realizada pelas SGM, SGEC e SGAS, com o apoio do FIW, serão documentadas nesse portal.

Mais do que um fiscal, seja um intercessor e propagador dessas obras que serão realizadas.

Se você tiver duvidas ou sugestões sobre o Novo FIW, envie um email para fiw@wesleyana.com.br Eu terei a alegria e o zelo de responder prontamente a cada dúvida, questionamento, soluções ou até mesmo as palavras de animo e incentivo que forem trazidas até nós.

Deus lhe abençoe. Deus lhe fortaleça. Deus prospere sua obra. Contamos com seu apoio.

Sebastião Calegari Filho

Secretário Geral de Administração

2 thoughts on “Novo FIW 2022”
  1. Tendo a Imw, feito uma nova parceria com outra instituição financeira, certamente outras contas bancária serão abertas?(ou já foram?)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.